segunda-feira, 13 de março de 2017

A Ponte em Langlois com Lavadeiras

A pintura em óleo sobre tela, A Ponte de Langlois em Arles, também conhecida como A Ponte em Langlois com Lavadeiras, do pintor Van Gogh, retrata uma cena cotidiana em dia iluminado. À margem esquerda de um rio, um grupo de lavadeiras em diferentes posições: elas usam touca, algumas saia e blusa e outras, vestidos compridos modestos. À beira do rio, é evidente que um pequeno grupo enxagua roupas, pelo efeito dinâmico criado através de pinceladas semicirculares em nuances de azul. Na extrema esquerda, próximo a elas, um barranco em tom alaranjado brilhante, abriga uma pequena horta e abaixo na margem, avista-se através da vegetação alta, um barco parcialmente invadido pela água. Ao centro, uma precária ponte pênsil estruturada em madeira e correntes que deslizam por roldanas presas ao alto e base composta por pedras em tons de amarelo, com poucas alternâncias em verde e marrom. A imagem da ponte reflete-se invertida na água do rio. No meio da ponte, há uma pequena carroça com cobertura em arco em amarelo pálido, puxada por um cavalo marrom. Do lado direito, por trás da murada da ponte, seis ciprestes amarelados despontam e ultrapassam a estrutura superior da ponte.
A pintura em óleo sobre tela, A Ponte de Langlois em Arles, também conhecida como A Ponte em Langlois com Lavadeiras, do pintor Van Gogh, retrata uma cena cotidiana em dia iluminado. À margem esquerda de um rio, um grupo de lavadeiras em diferentes posições: elas usam touca, algumas saia e blusa e outras, vestidos compridos modestos. À beira do rio, é evidente que um pequeno grupo enxagua roupas, pelo efeito dinâmico criado através de pinceladas semicirculares em nuances de azul. Na extrema esquerda, próximo a elas, um barranco em tom alaranjado brilhante, abriga uma pequena horta e abaixo na margem, avista-se através da vegetação alta, um barco parcialmente invadido pela água. Ao centro, uma precária ponte pênsil estruturada em madeira e correntes que deslizam por roldanas presas ao alto e base composta por pedras em tons de amarelo, com poucas alternâncias em verde e marrom. A imagem da ponte reflete-se invertida na água do rio. No meio da ponte, há uma pequena carroça com cobertura em arco em amarelo pálido, puxada por um cavalo marrom. Do lado direito, por trás da murada da ponte, seis ciprestes amarelados despontam e ultrapassam a estrutura superior da ponte.